logo-blog
Search
cuidador de idosos

Dicas para Cuidadores de idosos iniciantes em 2022

Índice

É muito comum um familiar assumir o papel de cuidador quando necessário. Mas é muito importante cuidar sem infantilizar os idosos. 

As pessoas idosas às vezes precisam dos cuidados de outras pessoas por causa de uma condição médica, seja física ou mental.

Em alguns casos, o cuidado pode ser temporário (por exemplo, se a pessoa acabou de fazer uma cirurgia), mas há situações em que se estende até o fim da vida. Existem profissionais que exercem essa função, mas na maioria das vezes um familiar, como uma filha ou neto, assume o papel de cuidador.

Dessa forma, nem sempre a pessoa está pronta para lidar com as dificuldades que surgem, pois não estava preparada para isso, e vai aprendendo dia a dia, na prática. Mas é importante perceber que o cuidado pode ir muito além da administração oportuna de medicamentos. 

É preciso ter empatia e diálogo, saber lidar com a situação com naturalidade e estar atento às questões emocionais envolvidas no processo. 

Aqui estão algumas dicas importantes para os familiares que cuidam de entes queridos idosos:

Não trate idosos de forma infantil

Quando um idoso necessita de cuidados, é comum que as pessoas ao seu redor, inclusive o cuidador, às vezes o infantilizam, ou seja, tratam-no como criança, o que é inadequado e pode constrangê-lo e afetar sua autoestima.

 Ouça sua opinião e considere seus desejos. Quando a pessoa está lúcida ela é plenamente capaz de tomar todas as suas decisões e isso deve ser sempre respeitado.

Para o Dr. Maurício Ventura, Geriatra e Presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia de São Paulo (SBGG-SP), ao desconsiderarmos as decisões e ações dos idosos, corremos o risco de praticar a discriminação etária. 

É o preconceito contra os mais velhos, contra o que são, como agem, como fazem as coisas. Acho que a forma de evitar isso é o respeito. Sua compreensão da vontade, desejos e habilidades que essa pessoa tem. E sabendo que ela pode realmente tomar uma decisão, diz ele.

Em alguns casos, problemas de memória, comprometimento cognitivo e problemas relacionados à demência podem fazer com que os idosos tenham atitudes inadequadas. Mas é preciso entender seu contexto de vida e respeitar seus desejos sempre que possível. 

Não repita, não tome nenhuma decisão sem conversar com a pessoa, acho que são atitudes importantes que a gente pode ter, diz o médico.

“Uma situação em que o paciente está evoluindo para algum comprometimento cognitivo, em que ele começa a ficar confuso, tomar atitudes inadequadas, é importante a gente ter jogo de cintura, evitar a confrontação, porque isso vai agredi-lo. Ele vai se sentir violado. “

Ele vai tender a responder de forma inadequada, como qualquer um de nós, né? O idoso é uma pessoa como qualquer um de nós, que tem as suas reações conforme é estimulado a isso”, explica.

Diante de reações exageradas, o mais indicado é tomar atitudes conciliatórias em vez de atitudes de confronto, tentando fazer com que a pessoa deixe de tomar determinada atitude inadequada, oferecendo ou facilitando que ela atinja o objetivo pretendido.

Muita atenção na Saúde Mental

A saúde mental pode ser severamente afetada durante esta fase da vida. Além dos problemas associados ao envelhecimento – como a perda de entes queridos – as pessoas mais velhas podem se sentir constrangidas dependendo dos cuidados de outras pessoas. 

Do Dr. Ventura é o aspecto mais importante a este respeito a observação. Observe possíveis mudanças no humor ou no comportamento do idoso: tornar-se mais apático, tornar-se mais desinteressado, mais agressivo, deixar de lado as coisas que gosta de fazer.

 Os sinais podem ser discretos e só quem está ali e convive diariamente pode percebê-los.

É importante estar atento para ver se a pessoa está falando corretamente quando está mantendo seus interesses, suas atividades diárias. 

Quando você começa a ter uma fala desconectada, desconectada, você começa a ter uma atitude mais apática, desinteressada, são sinais de que pode estar acontecendo alguma coisa e isso é um alerta para procurar ajuda médica, entender o que pode estar acontecendo. 

Pode ser um problema pequeno, mas de repente também pode ser algo muito grave, explica.

Além disso, coloque-se disponível para ouvir a pessoa, conversar com ela, dar atenção, saber suas histórias de vida. Essas memórias geralmente têm muito valor para ela e ter alguém com quem compartilhar é extremamente positivo. 

Também procure promover momentos agradáveis, como tocar músicas de seus artistas favoritos, cozinhar juntos uma receita de família ou assistir a um filme, por exemplo.

Faça intervalos de folgas semanais e cuide-se

Quando o cuidador é um profissional empregado, é um trabalho como outro qualquer, onde ele tem direito a folgas e descanso.

No entanto, a realidade do familiar que se torna cuidador pode ser bem diferente, pois muitas vezes ele tem que dedicar seu tempo integral ao cuidado do idoso. Isso pode criar o que é conhecido como estresse de cuidar.

Por exemplo, uma filha que deixa o emprego para cuidar do pai ou da mãe provavelmente lidará com frustrações decorrentes da falta de realização profissional e pessoal, incluindo o fato de seu parente ficar doente e precisar de cuidados e, em muitos casos, perder a qualidade de vida. 

É importante que os familiares cuidadores, que não sejam profissionais contratados, tenham tempo para si. Distrair-se, sair, passear, poder viajar, enfim, ter atitudes diferentes do que você tem em relação ao cuidado.

Se necessário, procure aconselhamento psicológico para si mesmo, participe de grupos de apoio e procure ajuda de amigos e familiares. 

Nos casos em que há comprometimento cognitivo, o idoso pode se comportar de maneira hostil, por isso também é importante saber administrar essas situações para não levá-las para o lado pessoal. Nesse sentido, a terapia pode ser uma grande aliada.

Máxima atenção com Idosos com dificuldade motora.

Para além de todo o cuidado do dia-a-dia, que normalmente inclui o planeamento da medicação, consultas e consultas pós-tratamento, bem como consultas de exames e vacinação, os cuidados a pessoas com mobilidade reduzida ou acamadas são ainda mais intensivos. Eles podem incluir tomar banho, vestir e alimentar a pessoa. 

Idosos com incontinência urinária, por exemplo, costumam ter que usar produtos especiais que evitam vazamentos e neutralizam o cheiro da urina: quem não tem dificuldade de locomoção pode optar por roupas íntimas descartáveis ​​ou absorventes para incontinência, enquanto quem está acamado usa as fraldas . 

No segundo caso, é a enfermeira quem troca a fralda. Alguns cuidados são necessários para evitar lesões na pele, como dermatites e úlceras de pressão.

É importante lembrar que algumas pessoas não gostam do uso de fraldas. É interessante analisar quais opções existem, dependendo do caso, para que haja um bom ajuste. 

Quer contratar um cuidador de idosos?

Você quer contratar um cuidador de idosos e não sabe por onde começar? Não se preocupe. O Famyle está aqui para te ajudar em tudo o que precisar e garantir que você encontre alguém que encaixe perfeitamente com suas necessidades! Crie uma vaga agora, corre baixar nosso aplicativo e deixe que a gente cuide de você e de sua família! 

Gostou do nosso conteúdo? Então compartilhe!

Posts Relacionados

pessoa lavando as mãos

Todos os direitos das Empregadas domésticas

  Saber quais são todo os direitos das empregadas domésticas é fundamental antes de realizar uma contratação, isso porque, muitas vezes a sua necessidade não

Oprah Winfrey

7 mulheres empreendedoras e o que aprendemos com elas

Há séculos mulheres empreendedoras inspiram outras gerações com suas histórias de superação, conquistas e lições de vida. Muitas tiveram que lidar intensamente contra as adversidades

infantil

Cuidado infantil: Como se preparar para emergências

Preparar-se para emergências durante o cuidado infantil é uma responsabilidade crucial para pais, cuidadores e profissionais da área da saúde.  Diante da imprevisibilidade dos incidentes