Cuidador de idosos, muito além dos cuidados médicos

Índice

O trabalho de Cuidador de Idosos tem se tornado cada vez mais importante no Brasil. Isto porque a população idosa no Brasil vem aumentando constantemente.

Segundo o último balanço do Instituto de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado em 2018, o país possui 30,2 milhões de pessoas acima de 60 anos. Deste total, as mulheres são maioria expressiva, com 16,9 milhões (56% dos idosos), enquanto os homens são 13,3 milhões (44% do grupo).

Os dados mostram que, diferentemente de outras faixas etárias, esta é a que mais cresce, e o aumento é de 4% entre os que têm mais de 60 anos, e 6% entre os que estão acima de 80 anos.

A expectativa de vida também está ascendendo, e, de acordo com especialistas, sete em cada dez brasileiros acreditam que viverão até os 80 anos ou mais.

Isso se deve ao aumento da qualidade de vida, preponderante da tecnologia, que tem viabilizado inovações na ciência, em especial, na área da saúde. Tratamentos mais avançados, uma medicina mais abrangente e uma melhor preparação e qualificação dos profissionais que atuam no setor são alguns dos motivos que colaboram para este cenário.

Apesar de tais melhorias, a população idosa exige cuidados especiais, atenção exclusiva e e companhia constante.

Cuidador de Idosos

Há muitos idosos independentes, mas existem aqueles que carecem de cuidados com a saúde e o bem-estar, precisando de um acompanhamento contínuo, personalizado e qualificado.  Um dos profissionais mais procurados para oferecer esse suporte é o cuidador de idosos.

Trata-se de uma área em alta, principalmente, após ser reconhecida oficialmente, em maio de 2019, após a aprovação do projeto de lei complementar 11/2016, pelo Congresso Nacional. A partir de então, a profissão de cuidador de idosos, crianças e pessoas com deficiência ou doenças raras passou a ser regulamentada.

Com isso, o interesse pela área aumentou, assim como as exigências para a sua atuação, que, agora, exige qualificação.

A exigência é necessária para atender às demandas de muitos familiares, que, devido à atividade profissional, às inúmeras responsabilidades e à rotina atribulada, não conseguem se dedicar integralmente aos seus entes queridos, como pais, avós, tios, conjugues.

O cuidador de idosos é aquele que poderá auxiliar nesta responsabilidade, tornando-se um acompanhante, que, além de se preocupar com os aspectos médicos do acompanhado, irá auxiliá-lo em sua rotina, em suas atividades e tarefas, e, ainda, se tornará um parceiro, estando apto a participar de toda a sua vida. Trata-se de uma profissão que vai além dos cuidados médicos, da dedicação e atenção. Ela exige amor, carinho, paciência, disposição, além de comunicação, pois será aquele que sempre estará disposto a participar das histórias vivenciadas pelo acompanhante, como também a se tornar parte dela.

Mais que uma companhia

cuidador de idosos companhia
Imagem de PublicDomainPictures por Pixabay

O cuidador de idosos é aquele que se preocupa com os cuidados com a saúde e o bem-estar do seu acompanhado.

Trata-se de um profissional importante para auxiliar esse público, não só com as necessidades pessoais, como emocionais e socioeducativas. Isso porque ele se torna um parceiro, disposto a ajudar o seu paciente em sua rotina diária, respeitando suas limitações. Este profissional pode atuar na casa do paciente, em casas de repouso, clínicas, hospitais, e, também, trabalhar por conta própria ou prestar serviços por intermédio de empresas especializadas. O atendimento domiciliar é o mais procurado, o que permite que o idoso não seja privado de seu ambiente familiar e da sua rotina diária.

É importante lembrar que o cuidador de idosos também se torna uma companhia imprescindível, ao trabalhar com as dificuldades do assistido, sejam elas físicas, sensoriais, emocionais, dentre outras. Ele ajuda o idoso nas tarefas que ele não consegue realizar sozinho, e, independentemente das limitações, estimula a autoestima, a autonomia e a independência.

Além das atividades rotineiras, estimula outras novas, a fim de mostrar-lhe novas possibilidades, para que ele não se sinta incapaz, simplesmente, por ser dependente de um acompanhante. Por estas funções, muitos cuidadores passam a ser considerados novos membros da família, em vista de sua dedicação integral ao assistido.

Funções a desempenhar

Além da companhia e do auxílio nas tarefas cotidianas do acompanhado, o cuidador é responsável em dar os remédios recomendados de acordo com a prescrição médica, cuidar da higiene pessoal do assistido (se necessário), servir as refeições, levá-lo para exercícios físicos e passeios autorizados. Acompanhar o idoso em consultas, exames e tratamentos médicos.

Também compete ao cuidador promover o bem-estar do acompanhado, ou seja, preocupar-se em realizar ações que mostrem ao idoso que, independentemente de suas dificuldades, a sua vida move, e novos interesses devem ser despertados.

O contato com os familiares também é uma premissa, e eles devem ser devidamente informados sobre o processo de trabalho, as ações realizadas, a rotina acompanhada, e, em especial, sobre o estado de saúde do idoso, alertando-os sobre quaisquer problemas.  A relação com o médico é outro fator importante e aconselhável para que possa acompanhar de perto tudo que o assistido vem passando.

Perfil para atuar como Cuidador de Idosos

O cuidador de idosos deve ser educado, atencioso, resiliente, respeitoso, flexível, observador e com autocontrole. Precisa manter um espírito otimista e alegre no exercício de suas atividades. Além disso, seu trabalho deve ser desempenhado de forma ética, empática e responsável. A sua atividade vai além da assistência, perpassando para o companheirismo, afinal, o cuidador não só acompanha a rotina de um idoso, como também se torna parte dela. Por este motivo, deve estar aberto a oferecer mais que cuidados especiais, mas, também, atenção, carinho, afeto, principalmente, companhia, compartilhada com amorosidade.

Carga horária de trabalho

A carga horária de trabalho depende da necessidade do contratante. O cuidador pode trabalhar por um período de 6, 8 ou 12 horas. E, quando o atendimento precisa ser integral, ou seja, durante 24 horas, o trabalho é realizado em forma plantão e em esquema de revezamento com outro profissional. Os valores também levam em consideração o estado do acompanhante, como, por exemplo, se ele é acamado, se usa fraldas ou sonda, é cadeirante entre outras.

Faixa salarial

De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o piso salarial de um cuidador é de R$ 998 para jornadas semanais de 42 horas, com direito a todos os benefícios concedidos pela Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), como décimo-terceiro, férias, aposentadoria e seguro-desemprego. No entanto, este valor não é fixo, ele varia de acordo com a região do país, do nível de qualificação e do regime de trabalho.

Com a recente regulamentação da profissão, no Estado de São Paulo, por exemplo, a remuneração é de R$ 1.250 a R$ 2.100, e a média salarial chega a R$ 1.500.

Já para cuidadores que atuam no período noturno, o pagamento mensal oscila entre R$ 1.800 e R$ 4.500, segundo dados da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia.

Como se profissionalizar como Cuidador de Idosos?

Segundo o Ministério do Trabalho, os cuidadores de idosos tiveram um aumento considerável nos últimos anos. Para se ter uma ideia, em 2007, eram 5.263 profissionais no mercado; passando para 34.051 em 2017. Deste montante, 85% são mulheres com o ensino médio completo.

Com a regulamentação da profissão, a qualificação passou a ser essencial. Se antes, entre os atuantes, predominavam pessoas próximas sem formação técnica, agora há cada vez mais profissionais multidisciplinares, treinados para conhecer as principais patologias que acometem os idosos, a legislação, ética, psicologia, nutrição, além de serem preparados para emergências e primeiros socorros.

Cursos para Cuidadores de Idosos

Há cursos presenciais e a distância, alguns são de nível livre, outros, técnico.

São realizados por conselhos de profissionais da saúde, como os de Enfermagem e Medicina; hospitais, centros de formação técnica e escolas de auxiliares de enfermagem.

Entre as opções, estão os do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Social do Comércio (SESC) e o Centro Paula Souza. O Portal da Educação , Prime Cursos , Grupo Iped, Escola Educação, dentre outros, também estão entre as sugestões.

Há opções pagas e gratuitas, com cargas horárias variáveis, de 20 a 160 horas. Os cursos de Auxiliar ou Técnico de Enfermagem também são aceitos para atuar como cuidador de idosos. Para todas as modalidades, é preciso ter o ensino médio completo e idade acima de 18 anos.

Cuidador de Idosos: Área promissora no Brasil

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil está próximo de se tornar um país envelhecido. Para a entidade, isso é legitimado quando 14% da população possui mais de 65 anos.

E, para a organização, considerando os dados atuais, calcula-se que o país levará pouco mais de duas décadas para envelhecer, ou seja, em 2032, quando 32,5 milhões dos mais de 226 milhões de brasileiros terão 65 anos ou mais.

Uma consideração importante para os que se interessaram pela profissão. Sem dúvidas, o cuidador de idosos é e continuará sendo uma função essencial. Para os que se enquadram no perfil, que tal se profissionalizar? Fica a dica!

Gostou da postagem não deixe de comentar! No blog do Famyle você encontra mais assuntos ligados ao mundo dos profissionais domésticos como contratações de empregadas domésticas e babás,

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on tumblr
Share on skype
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email
Crianças dando a mão

Categorias

Posts Recentes

Compartilhe em suas Mídias Sociais

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter

Tags

Posts Relacionados

empresa limpeza

Empresa de limpeza

Se você está buscando informações de como contratar uma empresa de limpeza, esse texto pode te ajudar. Reunimos tudo que você precisa saber sobre a